O que é inegociável na sua empresa?

Em momentos difíceis como este que vivemos no Brasil, acredito em uma pergunta-chave que toda liderança deve se fazer: o que é inegociável na sua organização?

 

Para mim, uma das funções mais importantes da alta liderança de uma empresa é INSPIRAR todos a seguir em uma direção, em um norte ou, em outras palavras, EM UM PROPÓSITO.

 

Em paralelo, precisa NUTRIR UMA CULTURA capaz de nortear comportamentos, símbolos e signos, ambientes, processos e estruturas, para que a organização, verdadeiramente, caminhe em direção àquele propósito.

 

E, dentro deste capítulo de cultura, tão importante quanto refletir sobre quais comportamentos esperamos daqueles que vivem em nossa organização é primordial TER CLAREZA DO QUE NÃO É ACEITO... Ou o que é inegociável. Os famosos limites, ou, em inglês, boundaries.

 

O exemplo da Vale nos últimos anos é, para mim, a prova da falta desta reflexão. Mais que isso, representa a falta de seus líderes buscarem, incansavelmente, a COERÊNCIA COM O QUE PREGAM.

 

Vivemos em um mundo cada vez mais transparente e conectado, onde organizações que não oRnam, consciente ou inconscientemente, não se sustentam. Estão fadadas à morte. Caput.

 

ORGANIZAÇÕES MURCHAM pela falta de consumidores ou, tão dramático quanto isso, pela falta de talentos. As novas gerações definitivamente não toleram mais um “papinho incoerente”. Simplesmente vão embora. Ou não compram mais...

 

E você e sua empresa, andam refletindo sobre esses temas? Quantos rituais têm ao longo do ano para REFLETIR sobre isso e debater o quanto os COMPORTAMENTOS E AÇÕES da organização estão alinhados (ou não) às crenças e aos valores disseminados?

 

Se não estão cuidando disso, sugiro fortemente que COMECEM o quanto antes. Se não souberem como, peçam ajuda!

 

A humanidade clama por oRnarmos discursos e ações, propósitos inspiradores e estratégias e planos de ação que, verdadeiramente, caminhem nesta direção.

 

Vamos EUpreender genuinamente?

 

Boas reflexões e muita luz para todos em Minas Gerais.

 

Edu Seidenthal

 

 

cris diogo