Reiventando as organizações

Quais são os desafios da sua organização?

O desperdício de talentos é uma das minhas principais inquietações em relação ao mundo corporativo. Reflete, muitas vezes, a postura de empresas “acomodadas” em modelos tradicionais, pouco atentas a formas inovadoras de gestão. Indica também a falta de propósito da organização, o que afasta profissionais em busca de uma atuação transformadora no mundo.

Para quem se interessa em aprofundar essas questões, recomendo a leitura de “Reinventando as organizações – Um guia para criar organizações inspiradas no próximo estágio da consciência humana”, do belga Frederic Laloux. A edição em Português acaba de ser lançada pela Editora Voo.

A partir de sua experiência como conselheiro de empresas, coach e facilitador, Laloux reúne exemplos de empresas que optaram por buscar novos modelos de gestão, seja a partir de mais autonomia para colaboradores ou por equipes menos hierárquicas. Questões ambientais, como redução de resíduos e mudanças climáticas, também estão na agenda dessas organizações. Além dos exemplos, ele se baseia na Teoria Integral, do filósofo Ken Wilber (autor do prefácio do livro), para traçar um paralelo entre os níveis de consciência do indivíduo e o das organizações.

Ao recomendar a leitura, não quero dizer que essas empresas são melhores que outras. Mas realmente acredito que elas avançaram em seu modo de ser e estar no mundo, por deixar de focar somente no lucro. Conhecer as ações da Patagônia voltadas à sustentabilidade do planeta, por exemplo, mais que inspiração, mostra que ter um olhar diferente em relação aos negócios traz benefícios para a marca, as pessoas e o planeta. Motivos pelos quais organizações como essa atraem tantos profissionais.

Eu sou porque você é. Você é porque nós somos!

Eduardo Seidenthal

Marcia Kolos